SIGA O MEU BLOG

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O Rio Nilo, Histórico e Milenar (Enfoque Geral)


O RIO NILO, HISTÓRICO E MILENAR

* José Guilherme Barbosa


Caros leitores:


Aqui no Brasil temos vários rios interessantes e de importância vital para determinadas populações. Mas neste meu artigo eu quero fazer alguns comentários sobre um rio africano, o Nilo. Ele nasce na Tanzânia, formando à leste do país, uma enorme barragem, e depois segue rumo aos países, Ruanda, Uganda, Sudão e Egito, indo desaguar junto ao mar mediterrâneo, na cidade egípcia de Alexandria. O Nilo é para o africano, o mesmo que o Rio São Francisco é para o nosso povo nordestino.

O Nilo atravessa quase a metade do continente africano, sendo de suma importância para esses países aqui citados. Os africanos aproveitam o máximo de suas águas para a navegação, pescaria, e também para irrigação, pois grande parte do continente é de terras secas, o que requer esta tarefa de constantes irrigações para que produzir pastagens, alimentos e até mesmo viabilizar o fluxo de águas na região. Os cinegrafistas de grande parte do globo estão sempre produzindo filmes sobre a importância do Nilo pelos motivos aqui apresentados.
Este rio se apresenta em alguns pontos com água limpa; mas há lugares onde são extraídas pedras de construções e indústrias extrativas de areia, tornando suas águas turvas e barrenta. Mão rio continua no seu trajeto pelo continente a fora, recebendo vários afluentes. Da metade do Sudão até o final do trajeto em Alexandria, no Egito, este rio vai só crescendo, e chega a ter lugares em que atinge uma largura de vários kilômetros de largura.
O Nilo passa por aldeias, por grandes e pequenas cidades, povoado;s e uma das partes mais interessantes é quando recebe águas turvas do Rio Okavango. Este tem uma história muito interessante: ao meio de suas águas flutuam ferozes crocodilos de até 6 metros de comprimento. Eles flutuam disfarçados como toras de madeira, procurando um canto do rio para se aglomerarem e ficarem a espreita de suas presas, como gnus, antílopes, veados e gazelas. As imagens chocam até mesmo o mais experiente cinegrafista.

* Escritor e despachante (Machado-MG)

Nenhum comentário: