SIGA O MEU BLOG

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

OS OLHOS

Eles são as últimas janelas,
que nas estruturas d' eles ou d'elas
são os faróis de varias cores;
neles estampam-se as alegrias, as magoas,
que secos ou cheios d'agua,
representam alegrias e dores.
Com os Olhos eu vejo
fitando-os transmitem ódio, alegria e desejo
na tristeza eles ficam molhados;
na despedida são fracos e tristes,
na morte eles não existem
porque permanecem para sempre fechados.
no amor são luzes frequentes,
nos inocentes, são vivos e puros,
na juventude são fortes visões,
nos anciões, são faróis inseguros.
com os Olhos, os seres se amam,
com os mesmo olhos, pedem perdão.
olhando aos cegos, curou-lhes os olhos,
olhando a lazaro, deu-lhe a ressurreição.
eles são na verdade os guias do mundo,
de segundo em segundo, no dão direção;
no erro eles mostram a verdade,
na distância distinguem a saudade
no pecado eles pedem perdão.
na desgraça, fitam horripilantes,
no amor são brasas constantes
nos horrores se abrem demais;
nas trevas procuram a luz
e o corpo que ele conduz
leva o homem a gloria e a Paz.

João Roberto - Poeta em Ilhota- ilhotaprevjr@hotmail.com

Um comentário:

Luana Caroline Künast Polon disse...

Gostei muito do seu poema, transmite muito sentimento!
Parabéns pelas lindas palavras!