SIGA O MEU BLOG

quarta-feira, 30 de março de 2011

IDA SEM VOLTA

Ele a viu, mesmo não querendo ver.
Ele a sentiu, como se lembrasse do primeiro beijo selado dos dois.
Ele sentiu seu aroma, como se houvesse entrado em meio a um campo sublime de rosas.
Ele viu, mesmo parecendo não crer.

Ele se lembrou da melodia inspirada em Mozart que se fez compor e soar para ela,
Ele se viu em um espelho como se não houvesse nada,
Ele mastigou-se dentro de si, como quem se petrifica.
Ele se foi, mesmo com um sorriso torto de quem fica.

Ele lhe acariciou como se fosse a primeira vez dos dois,
Ele lhe sussurrou aos ouvidos as mais belas melodias e versos feitos as pressas,
Ele lhe tocou como ninguém à havia tocado daquela maneira,
Eles se deleitaram como quem não espera o futuro, o depois.

O que resta dele agora Meu senhor ?

Apenas às sombras de quem se decepciona,
Apenas as lágrimas de quem não chora,
Apenas os sorrisos cativantes de que não sorri,
Apenas o singelo Adeus de quem lhe diz por mero desdém.
Lhe restou a alma, se é que não a levaram também.

Ele se apaixonou, mesmo se forçando a seguir a razão.
Ele se queixa pela falta de explicação.
Ele ainda não sabe o que é amar, 
Mas ele se foi, como quem vai, para nunca mais voltar.,

*Amanda Lemos

Um comentário:

Regina Mercia disse...

Oi gostei muito do seu trabalho. Parabéns e visite o meu site
www.albumdereginamerciaepoemas.com.br