SIGA O MEU BLOG

segunda-feira, 4 de julho de 2011

"O TER, E O SER" (Di

“As pessoas estão mais preocupadas em TER e não em SER, o que elas não sabem, é que as duas coisas estão ligadas. Pois aquilo que faz para TER é o que te faz SER, e aquilo que faz para SER é o que te faz TER”.

Ter objetivos na vida é uma coisa muito natural, mas dependendo do objetivo e de como você o encara, pode ser prejudicial ao corpo e ao espírito. Por isso, alguns cuidados devem ser tomados... As preocupações demasiadas e a dedicação excessiva no objetivo de “Ter” podem diminuir os problemas financeiros, mas também podem atrair problemas amorosos, pessoais e físicos. 

A dedicação excessiva pelo trabalho traz amargura para o coração e planta uma incompreensão que só existe na cabeça de quem age dessa forma. A pessoa começa achar que ninguém a entende, que a sua dedicação pelo trabalho que é responsável pelo bem-estar de todos, mas é ela que não entende a preocupação das outras pessoas com relação à sua saúde e ao seu bem-estar. 

A pessoa obcecada pelo trabalho encara a preocupação e a cobrança da sua família por mais tempo para eles e para o lazer como uma coisa ofensiva. Ela acha que a sua dedicação não é reconhecida, isso causa um afastamento da família e suas atitudes passam a ser irreconhecíveis à sua personalidade. A falta de tempo para o lazer, para a família e para cuidar do seu corpo, resulta em doenças, afeta o humor e prejudica o convívio social. Essas pessoas esqueceram que nasceram para Ser e não para Ter.

Temos que ter muito cuidado com o foco do “Ter”, pois na maioria das vezes, quando queremos algo demais e não medimos esforços nem consequências para consegui-lo, ele se afasta de nós e se torna obsessão. Um exemplo disso é o “Amor demais”. Amar alguém demais, gera imediatamente uma preocupação: O medo de perdê-la. Você se torna então dependente dela, da sua presença, da sua atenção, que acaba sufocando esta pessoa e levando-a a afastar-se de você, e o que você chamava de AMOR, se transforma na forma mais dolorosa do “medo”, e o medo atrai sentimentos negativos, e nesse caso, atrairá também a perda.

O “Ter” também gera duas preocupações: A de conseguir e a de não perder. Essas preocupações roubam o seu tempo e calam a voz do coração, te afastando do “Ser”... A simples felicidade de “Ser” é o que te aproxima do “Ter”. Essa é a maneira mais sábia de viver. Mas não pense que o objetivo de “Ter” é errado, apenas encare a sequência da vida de “Ser feliz para ter”, e não... Ter para ser feliz.

Mas se seu objetivo é “Ser”, mais rapidamente encontrará a convicção e a força necessária para conseguir todas as coisas por mera consequência. Seguro e feliz, não se importará com quantas e quão enormes sejam as dificuldades, você nunca irá desistir dos seus sonhos. Sua confiança em si mesmo e sua felicidade se refletirão na sua Essência, atraindo para ti coisas que nem imaginava “Ter”. 

Você terá tudo, por simples consequência do “Ser”. Ter objetivos nos tornam pessoas mais fortes, mais capazes, isso é muito bom. É claro que deve sempre visualizar tudo que deseja, pensar muito, dedicar muitos sentimentos intensos aquilo que quer, mas de maneira saudável, sem gerar uma (preocupação) com isso. A preocupação é o que te afasta daquilo que deseja, e a segurança que transmite ao desejo é o que realiza.

“Quando tudo que você se importar for aquilo que REALMENTE É, será quando terá tudo que não se preocupou em TER”.


Di OLIVEIRA
Livro: QUERO SABER QUEM SOU
Site: www.clubedeautores.com.br



Um comentário:

Darwin Bruno disse...

Muy interesante el texto. Buen blog.Gracias por compartir tu cultura con nosotros.Fue un gusto leerte y visitarte. Que tengas un gran día amigo. Te envío un fraternal saludo desde mi espacio. Seguiré visitandote con el permiso tuyo.

http://socialculturalyhumano.blogspot.com/